CapaEditora Record, Brasil, 2017
EM TODAS AS LIVRARIAS
Lançamento 8 nov 2017

CapaSaída de Emergência, Portugal, 2018
Lançamento 24 jan 2018


Terceiro romance de Luize Valente, lançado em novembro de 2017, depois de O Segredo do Oratório (2012) e Uma Praça em Antuérpia (2015), todos publicados pela Editora Record. A pesquisa histórica com riqueza e precisão investigativas continua a marcar a obra da autora, desta vez com uma história saída do campo de extermínio nazista, uma saga em pleno Holocausto envolvendo o leitor em mistério, suspense e profundos sentimentos e sensações.

Em tempos extremos, reflete também sobre os erros que se repetem, os preconceitos que permanecem, as guerras que nunca acabam e os atos de resistência e a arte que sempre surgem em meio aos escombros.

Este romance é uma ficção baseada em fatos históricos e dados reais e inspirada por depoimentos de sobreviventes. A autora teve um encontro especialmente marcante com a sobrevivente judia Maria Yefremov, hoje com mais de 100 anos, vivendo no Rio de Janeiro, e desse encontro resultou o mote para a escrita da ficção. Maria teve um bebê em Auschwitz em 1944 e nunca soube o que aconteceu com ele. No romance, o destino será outro.

Outra curiosidade é que a Sonata que dá título ao romance ganhou forma no plano real enquanto o livro era escrito, em 2017. O sobrinho da autora, o jovem maestro Antonio Simão, compôs a Sonata para Haya tendo a mesma idade do personagem Friedrich, 24 anos. Um instigante diálogo entre ficção e realidade.

E, como surpresa para o leitor mais atento, existe ainda uma misteriosa ligação deste novo romance com o anterior, Uma Praça em Antuérpia...

Luize em Auschwitz-Birkenau,
durante viagem de pesquisa, em 2016.


SINOPSE
Um bebê nascido nas barracas de Auschwitz-Birkenau, em setembro de 1944. Uma sonata composta por um jovem oficial alemão, na mesma data, também em Auschwitz. Duas histórias que se cruzam e se completam. Décadas depois, Amália, jovem portuguesa, começa a levantar o véu de um passado nazista da família a partir de uma partitura que lhe é revelada por sua bisavó alemã. A dúvida de que o avô, dado como morto antes do fim da Segunda Guerra, possa estar vivo no Rio de Janeiro, a leva a atravessar o oceano e a conhecer Adele e Enoch, judeus sobreviventes do Holocausto.

A ascensão do nazismo na Alemanha, culminando na fatídica Noite dos Cristais, a saga dos judeus húngaros da Transilvânia, os guetos na Hungria e Romênia, os trens para Auschwitz, os mistérios acontecidos no campo de extermínio da Polônia e o pós-guerra numa casa cheia de segredos num lago de Potsdam oferecem os trilhos que Amália percorrerá para montar o quebra-cabeça.